Arquivo

Archive for the ‘inclusão digital’ Category

Dica: revista ARede

4 de agosto de 2010 Deixe um comentário

Gostaria de compartilhar com tod@s e também divulgar uma revista sobre inclusão digital, ARede. Eu não sabia, mas a ONG na qual trabalho tem assinatura da mesma, ai trouxe o último número para dar uma lida e gostei bastante. Trata-se revista de número 60, que traz matérias muito interessantes, além de conteúdo bem diversificado.

De acordo com o editorial da ARede, ela é gratuita para organizações. Para recebê-la individualmente, é pedido uma contribuição anual. Quem não puder contribuir, pode dar uma olhada no conteúdo que está no site.

Fica a dica então.

http://www.arede.inf.br

Chamada de trabalhos para IV ENSOL

10 de março de 2010 Deixe um comentário

O Grupo de Usuários Linux da Paraíba, G/LUG-PB, e o Projeto Software Livre, PSL-PB, iniciam oficialmente a chamada para a submissão de trabalhos do IV ENSOL, um dos maiores eventos de Software Livre do Brasil, que ocorrerá de 6 e 9 de maio na capital paraibana, João Pessoa, cidade onde o sol nasce primeiro.

A submissão de trabalhos estará aberta até o dia 7 de abril e está sendo feita através da página “Submissão de Trabalhos” (http://www.ensol.org.br/papers) disponível no site do evento. Qualquer pessoa poderá submeter quantas palestras quiser, de forma gratuita.

O ENSOL tem como lema “Liberdade no Extremo” e se propõe a divulgar, promover e apoiar o uso e filosofia do Software Livre. Serão aceitas palestras de toda a sorte de temas relacionados à proposta do evento e os macro-temas são: Ecossistema do Software Livre, Desenvolvimento, Segurança, Governo, Educação, Negócios, Inclusão Digital e Social e Cultura Livre. A banca avaliadora do evento lembra que a duração máxima da palestra deve ser de 50 minutos (já incluindo perguntas e respostas).

Você já imaginou palestrar na Estação Cabo Branco – Ciência, Cultura e Arte, mais recente obra do famoso Oscar Niemeyer, localizada no ponto mais oriental das Américas? Você já imaginou fazer a sua apresentação ao lado de grandes palestrantes nacionais e internacionais como o Rasmus Lerdof, criador do PHP? Esta é a sua chance! Aproveite esta oportunidade única, pois o ENSOL está de braços abertos para você.

Já saiu a agrade oficial do II Encontro Livre

3 de março de 2010 Deixe um comentário

Já saiu a grade oficial dos eventos que irão ocorrer na segunda versão do Encontro Livre. O mesmo será realizado nos dias 10,11 e 12 de Março, tendo como tema principal “a comunicação”.

O evento será realizado novamente na Livraria Cultura do Paço Alfândega.

Tenha acesso a Grade de Palestras clicando aqui.

DVD Linux Acessível 9.10 disponível

30 de novembro de 2009 Deixe um comentário

É com grande satisfação que anuncio o lançamento do DVD Linux Acessível 9.10, uma versão remasterizada do Ubuntu 9.10 Karmic Koala. Este DVD tem como foco a acessilidade para pessoas com deficiência visual, tornando o uso do GNU/Linux prático, fácil e com total autonomia na instalação por pessoas cegas ou de baixa visão.

Características do DVD Personalizado :

* Sistema configurado para carregar em português e com o leitor de telas Orca ativado.
* O ampliador de telas para pessoas com baixa visão pode ser ativado rapidamente pela combinação de teclas Insert+A.
* Correção dos problemas com o som referente ao pulse audio.
* Correção no nome da pasta que representa o desktop, pois no Ubuntu 9.10 original vem com o nome de “Área de Trabalho” o que dificulta o funcionamento de alguns programas, por conter acento e espaços no nome.
* Codecs para reprodução de áudio e vídeo.
* Instalados os pacotes referentes ao Flash e Java
*Adicionado o pacote Parcellite para gerenciar a área de transferência
* Instalado o leitor de telas para modo console Espeakup.
* Adicionado script para reconhecimento do modem Sonny Erickson MD300.
* Mozilla Thunderbird 3.0 definido como gerenciador de e-mails padrão do sistema.
* Adicionada uma pasta com manuais para quem está iniciando com as pricipais teclas de atalhos do Orca, Gnome, Nautilus, Firefox…
* Pacote Wine para rodar aplicativos Windows
* Instalados os pacotes Acidrip e DEVEDE para trabalhar com a criação de DVDs.
* Pacote sound converter para conversão de formato de áudio.
* Pacote MP3 Gain para normalizar áudio de MP3s.
* Instalados os pacotes para o Pidgin, Skype e o plugin que controla o Skype via Pidgin.
* Painéis inferior e superior unificados em um único na parte iferior da tela a fim de liberar maior área visível para os programas.
* Sistema atualizado até 24/11/2009.

Fonte e Download: linuxacessivel.org

World Wide Web terá projeto de inclusão digital no Brasil

16 de novembro de 2009 Deixe um comentário

A World Wide Web Foundation através de seu fundador, Berners-Lee, anunciou que começa a atuar em dois projetos de inclusão digital, sendo um deles no Brasil, feito em parceria com o Comitê para Democratização da Informática (CDI). O anúncio foi feito durante o Fórum de Governança da Internet 2009, em Sharm El Sheikh, no Egito.

A parceria com o CDI envolve o ensino de tecnologia à população mais jovem, com objetivo de desenvolver programas de treinamento e capacitação para a criação de sites e aplicações por jovens de comunidades carentes em cinco programas-piloto na América Latina, Europa e Oriente Médio.

Parte do projeto inclui criar um sistema para celulares com integração do uso de voz como interface. A Web Foundation cita que 25% da população mundial têm acesso à web, mas mais de 70% das pessoas têm acesso a aparelhos fixos e móveis capazes de mostrar conteúdo da web.

O outro projeto será desenvolvido em parceria com a VU University Amsterdam, da Holanda, e se chama “Web Alliance for Re-Greening in África” ou simplesmente W4RA. Esse projeto visa acelerar iniciativas de reflorestamento no continente africano.

Fonte: Olhar Digital

Computador simplificado para idosos é lançado na Grã-Bretanha

14 de novembro de 2009 1 comentário

Um novo computador direcionado para idosos com mais de 60 anos que não tem prática com computadores ou com a internet foi lançado na Grã-Bretanha.

O computador, chamado de SimplicITy, é operado através de uma tela inicial básica que oferece apenas seis opções, que direcionam os usuários para atividades básicas como envio e leitura de e-mails e conversas online.

Produzido em parceria entre a empresa de informática Wessex Computers e o website de descontos para idosos Discount Age, os computadores usam o sistema operacional livre Linux.

Os computadores custam entre 299 libras (R$862) e 526 libras (R$1514) e já vem instalados com 17 vídeos que ensinam os usuários a trabalhar com o equipamento.

O SimplicITy não apresenta os menus convencionais. Ao ser ligado, uma tela chamada de Square One é aberta, oferecendo seis opções que podem ser clicadas para levar o usuário aos e-mails, navegar na internet, arquivos (documentos, fotos, etc), conversas online e um perfil do usuário.

A apresentadora de televisão britânica Valerie Singleton, que dirige o website Discount Age e apresenta os vídeos que acompanham os computadores, afirmou acreditar que os idosos “não entendem os computadores”.

“Eu uso computadores já há algum tempo e não entendo tudo. Cada vez aprendo uma coisa nova e preciso escrever para não esquecer”, disse.

De acordo com Andrew Harrop, diretor de políticas públicas das ONGs britânicas Age Concern e Help the Aged, que trabalham com idosos, os esforços para tentar levar os mais velhos para o ambiente online devem ser “aplaudidos”.

“Aposentados que não estão online estão perdendo dinheiro em descontos potenciais em suas compras e com freqüência perdem as melhores taxas de juros para contas de investimento, sem contar os benefícios sociais de estar conectado”, afirmou.

Fonte: BBC-Brasil

Case Manguebit + Educação

25 de novembro de 2007 3 comentários

manguebit no naahs

naahs.jpg

Começo

No começo, o NAAH/S – Recife (Núcleo de Altas Habilidades / Superdotação) contava com 6 computadores cedidos pelo MEC. Os mesmos vieram com o Windows XP – Professional.

Necessidade

Na época da triagem inicial, alguns pais traziam seus filhos. Como os filhos não podiam participar da triagem, que era exclusiva com os pais, eu fiquei encarregado de “tomar conta” dos guris.

Idéias

Eu tinha a minha disposição: 5 computadores sem internet. Após ver, que não dava pra fazer muita coisa, resolvi pesquisar na internet sobre softwares livres educacionais. As páginas em sua maioria, apontavam para o linux. Naquele momento, o linux era inviável no NAAH/S por alguns pontos:

1 – Eu era do setor de apoio administrativo, logo não tinha nenhuma influência na área da informática;
2 – Teria de convencer MUITA gente a adotar o linux, sem ter muito embasamento de um motivo…;
3 – Eu estava muito verde no linux! Estava voltando a estudá-lo…

O Primeiro Linux no NAAH/S – Recife

Decidi baixar um live-cd, o Goblin-X pra dar uma testada com as crianças que gostaram bastante. A distro não vinha com muitos jogos, mas tinha um que eles adoravam: Super Tux.

Eis o Manguebit

Em uma reunião, eu comentei com a responsável da área de informática, a necessidade de softwares livres, principalmente na área educacional. Ela me disse que uma empresa de informática (EMPREL) da prefeitura do Recife, tinha uma distribuição que era baseada no Fedora Core 4 e se chamava Manguebit. Ela falou que ia contactar alguém responsável para vir instalar.
A pessoa que veio instalar, um técnico de um centro de informática da prefeitura, instalou em dois computadores afim de me mostrar como instalar e configurar. O resto ficou comigo, que troquei uma idéia rápida, lhe falando que me interessava por linux.

Após a instalação, a primeira visão:

1 – Um sistema cheio de scripts para facilitar a vida. Além da facilidade do Fedora, os desenvolvedores do Manguebit o rechearam com diversos scripts.
2 – Configurado! X, mouse, teclado, idioma, internet, samba entre outras coisas que não precisamos nos preocupar.
3 – Amigável. Fora o KDE e o GNOME, o Manguebit vem com uma personalização do QWM que ficou bem simples de usar.
4 – Programas! O Manguebit vem bem recheado. Mplayer, Xmms, k3b, Wine, Firefox entre outros fazem parte do grande elenco.

Ops! falta algo De início o Manguebit atendeu a muitas necessidades. Passei alguns meses, estudando ele e instalando nossos periféricos: impressora, webcam e scanner.
Entre esse momento, deixei de ser do apoio administrativo e passei a ser professor de informática. Nas minhas oficinas, notei que faltava algo a mais no Manguebit. O mesmo carecia de softwares educacionais. Relatei minhas necessidades a Mulatinho (crudo), que é um dos desenvolvedores do Manguebit. O mesmo me disponibizou um pacote educacional que personaliza o manguebit para a área educativa. Eu até o momento desconhecia esse pacote, que eh totalmente direcionado a educação e também traz atualizações ao sistema.

O pacote vem com bastante coisa boa, entre elas posso citar o Keduca, o Gcompris, o GooleEarth e o Pacote BrOffice.

Satisfação

Aos poucos estou transferindo a minha oficina de informática para o manguebit. As crianças que nunca tiveram contato com o computador, não têm o menor problema com o software livre. O Gcompris se encarrega muito bem, por ser chamativo tanto visualmente quanto de funcionalidade. Já as crianças que já tem uma experiências com o Windows, se sentem desafiadas a usar algo novo. Isso é ótimo, pois aguça ainda mais a sua curiosidade.
Tive também uma experiência positiva implementando o Manguebit na oficina de raciocínio lógico. O mesmo foi bem aceito por ter inúmeros softwares que auxiliam no desenvolvimento do raciocínio lógico.
Minha pretensão é usar 100% o linux em minha oficina, e fico feliz pois estou caminhando para isto, até porque já tenho 100% do que preciso :P

Agradecimentos

Ao Mulatinho (crudo), pelas dicas, ajuda e paciência. Aguardo o novo Manguebit eim! :P
Ao NAAH/S, por aceitar e confiar em minhas implementações
À Taciana, minha companheira de trabalho, por acreditar e apoiar minhas “loucuras livres” :P