Arquivo

Archive for the ‘sociedade’ Category

Wikileaks: Plano para obstruir o crescimento do SL

11 de outubro de 2010 2 comentários

Teoria da conspiração?

Acho que não. O que acontece é que toda vez que algo livre, democratiza algo e deixa ao alcance de tod@s, há, em contrapartida, ações contrárias/bloqueadoras de quem vive as custas da centralização, comercialização e poder.

Segue o que recebi via Notícias Linux:

O documento publicado pela Wikileaks demonstra que Jonathan Zuck, presidente da ACT (Association for Competitive Technology), uma organização com fortes vínculos com a Microsoft, e fundador da “Americans for Technology Leadership”, havia influenciado nas mudanças de documentos de trabalho da União Européia. Entre as modificações feitas por Zuck estão a grande insistência na mescla de software livre e não livre; a eliminação de críticas às patentes de software e as ameaças de pleitos superficiais por parte dos detentores de patentes; e a debilitação dos argumentos a favor de uma defesa dos direitos dos desenvolvedores de software livre a implementar livremente os padrões.

Confira: http://wikileaks.org/wiki/Euro[…]n_OSS_Strategy_Draft,_Mar_2009
Fonte: http://softlibre.barrapunto.com/softlibre/10/10/10/1518203.shtml

Anúncios

Liberdade na rede, transparência e Moore

2 de setembro de 2010 Deixe um comentário

Este foi um texto que publiquei no PE Livre.

– Mas o que isso tem a ver? – Você se pergunta…  Dá uma lidinha lá então, e não se esqueçam de comentar, os comentários são importantes para que sejam abertas discussões.

PE Livre

Governo economiza R$380 milhões com software livre

19 de agosto de 2010 2 comentários

Isto apenas até 2008. Cálculos indicam que este número pode ter sido dobrado até agora. Existem outros fatores fora a “gratuidade” dos softwares, como a questão de não ter que trocar tanto de hardware, porque o programa X ou Y necessitou de um upgrade “mais pesado”.

Software livre é viável?  A petrobrás e o banco do brasil podem responder.

BRASÍLIA- A adoção de softwares livres, programas de computador que podem ser usados gratuitamente, possibilitou uma economia de R$ 380 milhões ao governo federal até 2008.

“É um dinheiro que pode ser investido em outras áreas, na construção de hospitais, escolas, ou também pode ser reinvestido na contratação de mais gente para as áreas de tecnologia do governo”, avalia.

O tema começou a ser discutido hoje (18) no 3º Congresso Internacional Software Livre e Governo Eletrônico, que reúne mais de 5 mil pessoas em Brasília. O evento vai até a próxima sexta-feira (20).

Outra forma de o governo economizar com tecnologia da informação é a computação em nuvem, ou cloud computing, que permite o acesso de arquivos e programas remotamente, por meio de uma rede. Segundo Pastore, um dos usos possíveis dessa tecnologia ocorre no recebimento das declarações do imposto de renda pela Receita Federal.

“Todos os anos, quando chega a época da entrega do imposto de renda, a gente tem uma grande necessidade de servidores, então temos que comprar ou realocar cerca de 30 servidores. A ideia é que, em vez de termos 30 servidores só para imposto de renda, que na outra parte do ano vão ficar ociosos, vamos ter uma nuvem com 100 servidores. Os serviços que tiverem pico vão ocupar a parte que está ociosa, independentemente de ser um servidor dedicado apenas para imposto de renda, vários serviços vão estar rodando lá”, explica o representante do Serpro.

Para a coordenadora do Programa de Engenharia de Computação da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-RJ), Karin Brietman, o país está avançado do ponto de vista do desenvolvimento de tecnologia para a computação em nuvem, mas ainda falta rapidez de inovação, tanto na formação de pessoas hábeis para trabalhar com essas novas tecnologias como na criação de empresas que funcionem de maneira mais ágil no mercado.

Segundo ela, o maior gargalo ainda é o acesso à banda larga. “Mas imagino que o Plano Nacional de Banda Larga vai ser o divisor de águas, vamos ter uma infraestrutura tecnológica que realmente dê conta de suportar a mudança de todos os softwares para um modelo de nuvem”, avalia.

O presidente da Telebras, Rogério Santanna, também participou do evento e disse que a implantação do Plano Nacional de Banda Larga será fundamental para a adoção da computação em nuvem no país. “A possibilidade de compartilhar as informações não é possível sem dispor de uma infraestrutura adequada.”

A meta de levar a conexão em alta velocidade a 100 cidades ainda este ano está mantida, segundo Santanna, mesmo com o atraso da publicação dos termos de referência para os editais de licitação para contratação de serviços e equipamentos necessários para dar início ao projeto.

Ele disse que o edital deve ser publicado até o fim deste mês e que, até o fim de setembro, a licitação deverá estar concluída. “O edital é de uma grande complexidade e é importante a gente gastar muito tempo melhorando a qualidade do edital para evitar depois problemas e discussões jurídicas em torno dele”, afirma.

Fonte: InfoPlantão

Lixo tecnológico [animação]

16 de agosto de 2010 Deixe um comentário

A questão da sustenbilidade e da preocupação com o meio ambiente é coisa séria. Muita gente acha que os recursos do nosso planeta são infinitos, e acham que tudo que leve ao discurso ecológico é discurso de “ecochato”.

Mês passado visitei um órgão federal, que estava trocando seus equipamentos de TI e fiquei assustado com a quantidade de lixo que iria ser descartado.

Segue uma animação para pensar sobre o tema:

Programação II dia de solidariedade ao povo Xukuru

28 de julho de 2010 Deixe um comentário

O evento acontece no dia 07 de Agosto. Repassando:

Querid@s
lhe envio a programação completa do “Dia de solidariedade ao povo Xukuru” incluindo as outras programações conjuntas.

CAMARAGIBE:
Local: Praça de Eventos, Vila da Fábrica, próximo a Praça da Gruta
14:00 Mutirão de Grafite, Rede Resistência Solidaria, Mangue Crew…
17:30 Encerramento da “Mostra Vídeo Indio Brasil”
Projeção do documentário: “Transformaram a vítima em réu. Justiça ao povo Xukuru”
Roda de diálogo: “Criminalização e Resistência do povo Xukuru de Ororubá”
convidados: Lideranças do povo Xukuru e Rede de apoio ao povo Xukuru

RECIFE:
Local: Pátio de S.Pedro
20:30 “II Noite Xukuru”
Pirrila – Coco do Povo Xukuru de Ororubá
Pandeiro do Mestre
Adiel Luna e Coco Camará com participação especial de Casas Populares da BR 232
Mostra de vídeo, fotografia e grafite

Divulguem!!
um abraço
Mnauela

Lei esquecida? Parte 2

27 de julho de 2010 Deixe um comentário

Há pouco postei um texto, no blog do PE Livre, sobre a questão Prefeitura do Recife x Software Livre.

Segue:

Estamos aqui escrevendo mais um capítulo de uma novela que, se for o último, não terá um final muito feliz. Voltamos a falar sobre software livre, prefeitura do Recife, professores, notebooks, inclusão digital e perguntamos: como fica a lei nº 16.639/2001 que prevê o uso preferencial de programas de código aberto?

As notícias acerca dos notebooks, não mencionavam o uso de software livre, ao contrário, falavam em parcerias, inclusive com a Microsoft. Mas para a surpresa de muitos,  os tais notebooks para os professores da rede, vieram com o ubuntu 9.04 instalado e também com o windows vista, o que chamamos de dual boot. Os dois sistemas operacionais foram personalizados com programas e plugins, prevendo algum tipo de uso pelos professores. Deram atenção devida ao BrOffice e a outros softwares livres, inclusive educacionais.

Com base nestas informações questionamos a adoção do dual boot, pois o mesmo não contempla o uso preferencial do software livre, previsto na lei. Do que adianta instalar windows e linux em um  computador se não há nenhum tipo de informação para os professores? Tudo que eles obtiveram  à nível de informação foi que havia opção de usar dois sistemas, mas não foi aprofundado nada. No ato da entrega só houve um teste para ver se o mesmo funcionava. Não há nenhum tipo de informação, nem debate acerca do uso do linux nos notebooks.

O uso do dual boot, nesta ocasião, é uma luta desleal, e não pode ser interpretado como uma livre escolha.

A comunidade do software livre continua o questionamento: Lei esquecida?

Post anterior sobre esta questão: http://www.pelivre.org/blog/?p=236

Facebook proíbe o termo “palestinian” em suas páginas

26 de julho de 2010 Deixe um comentário

Não sei por que o facebook bloqueou o termo “palestinian” na criação de páginas. Quando vi a notícia circulando na internet, não entendi muito do que se tratava e imaginava que o facebook teria uma resposta para o acontecimento.

Pelo que li, está vetada a criação de páginas com o termo, bem como derivados. Foi testado o uso do termo em português , e funcionou. Parece que o bloqueio está apenas para expressão em inglês. O mais engraçado de tudo é que, por mais que eu tenha procurado, não achei nenhuma posição do facebook quanto ao fato.

Segue o blog pelo qual eu soube do fato: Blog do Tsavkko – The Angry Brazilian